Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Poder Judiciário realiza curso de Libras e promove inclusão e acessibilidade

Comunicação inclusiva, desenvolvimento de habilidades interpessoais são alguns dos benefícios proporcionados pelo curso de Língua Brasileira de Sinais – Libras básico, que teve início na manhã desta segunda-feira (14 de setembro). Voltado para público interno do Poder Judiciário de Mato Grosso, como forma de aperfeiçoar conhecimento e o consequente atendimento de pessoas surdas, a capacitação, realizada por videoconferência, é uma ação da Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do Tribunal de Justiça (TJMT) em conjunto com a Escola dos Servidores e ocorre até o dia 2 de outubro.   Por meio da plataforma Cisco Webex Meetings está sendo possível reunir os 26 inscritos, de 16 comarcas do Estado e TJ, que ao longo de 40 horas aulas, sendo três horas por dia, terão acesso ao conteúdo com as aulas on-line, apostilas e vídeos complementares.   Na abertura dos trabalhos a supervisora e coordenadora da Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do TJMT, desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho deu boas-vindas aos participantes e destacou o apoio dado pelo presidente do TJMT, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha para a realização de mais esta capacitação voltada para a qualificação do público interno como forma de melhor atender aqueles que procuram os serviços da Justiça.   “É com muito prazer que falo com todos vocês, de várias comarcas que estão aqui para adquirir mais conhecimento. Agradeço ao presidente por atender nosso pedido, entendendo a importância desse trabalho de acessibilidade e inclusão. Espero que todos aproveitem essa oportunidade ao máximo para aprenderem a Língua Brasileira de Sinais, que vai auxiliar nos serviços de todos.”   Quem ministra o curso é a servidora Janaina Taques. Ela trabalha no setor de digitalização de processos do TJ, onde também estão 40 surdos (sendo 30 no Departamento Judiciário Auxiliar e 10 na Secretaria Auxiliar da Presidência). Ela ressalta a importância desse curso como forma de compartilhar conhecimento pensando na inclusão social e no atendimento daqueles que vão até às sedes das comarcas.   “Hoje, Libras está presente em persas lives e em propagandas, mas quando vi que servidores de 16 comarcas e do TJ tinham feito a inscrição fiquei extremamente feliz porque estamos levando acessibilidade para o interior do Estado. Quando alguém pensa em justiça a pessoa vai ao fórum da cidade, principalmente se ele souber que lá há um servidor que sabe a língua dele. Com servidores se capacitando no básico de libras já terá uma base para entender o surdo no contexto”, explica.   E foi o que levou a servidora Edna Maria da Silva Assunção, da Comarca de Porto Esperidião a fazer a inscrição para a capacitação, já que trabalha na Central de Administração, no atendimento ao público. “Pensando que trabalho diretamente com as pessoas e saber como me comunicar com o surdo, vim aprender Libras.”   O mesmo ocorreu com a servidora Fabiane Maria Santos Nascimento, da Segunda Vara Criminal da Comarca de Sorriso. Ela também trabalha com atendimento ao público e conta que tinha o desejo de aprender a linguagem de sinais. “É uma vontade antiga que sempre tive e quando surgiu a oportunidade me inscrevi e quero muito aprender para meu aperfeiçoamento e ajudar outras pessoas.”   Direto da Comarca de São Félix do Araguaia, o servidor Aquila Junior Lopes Machado disse que com o curso, sua expectativa “é para aplicar na vida, de forma geral. Sempre tive vontade de fazer o curso para exercer, colocar em prática.”   Também participam da capacitação uma magistrada e servidores das comarcas de Vila Bela da Santíssima Trindade, Paranatinga, Alta Floresta, Alto Araguaia, Várzea Grande, Sinop, Nova Ubiratã, Novo São Joaquim, Rondonópolis, Guiratinga, Água Boa, Primavera do Leste e Cuiabá.    
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia